http://img198.imageshack.us/img198/4919/ga5.gif

Translate

Barra de Vídeo

Loading...

Mas um pouquinho das festas juninas.

0
Festas Juninas no Nordeste 

Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.

Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas. 

Comidas típicas 

Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos. 
Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais. 

Tradições 

As tradições fazem parte das comemorações. O mês de junho é marcado pelas fogueiras, que servem como centro para a famosa dança de quadrilhas. Os balões também compõem este cenário, embora cada vez mais raros em função das leis que proíbem esta prática, em função dos riscos de incêndio que representam.

No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos ficam andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos festeiros.

Já na região Sudeste são tradicionais a realização de quermesses. Estas festas populares são realizadas por igrejas, colégios, sindicatos e empresas. Possuem barraquinhas com comidas típicas e jogos para animar os visitantes. A dança da quadrilha, geralmente ocorre durante toda a quermesse.

Como Santo Antônio é considerado o santo casamenteiro, são comuns as simpatias para mulheres solteiras que querem se casar. No dia 13 de junho, as igrejas católicas distribuem o “pãozinho de Santo Antônio”. Diz a tradição que o pão bento deve ser colocado junto aos outros mantimentos da casa, para que nunca ocorra a falta. As mulheres que querem se casar, diz a tradição, devem comer deste pão.

A origem da festa junina, beijos..

0

Origem da Festa Junina 

Existem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.

De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).

Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.  

Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenasafro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.  

Nesse época do ano uma delicia essas festa, cheias de cores, danças.

0
São João   Looks para as festas juninas, ideias bacanas de roupas para elas e para eles

Look junina

0
São João   Looks para as festas juninas, ideias bacanas de roupas para elas e para eles

Looks de festas juninas.

0
São João   Looks para as festas juninas, ideias bacanas de roupas para elas e para eles

Cocada uma delicia dessa época, espero que gostem amores... COCADA DE FORNO Ingredientes 1 coco ralado fresco (300 g) 3 xícaras (chá) de açúcar cristal 1 colher (sopa) de manteiga 3 ovos batidos Modo de preparo Aqueça o forno em temperatura média. Numa tigela, misture todos os ingredientes até ficar homogêneo. Transfira a mistura para um refratário e leve ao forno por 20 minutos ou até ficar cremosa. Se quiser, sirva quente com uma bola de sorvete de creme.

0
Tempo de Preparo: 30 minutos | Rendimento: 6 porções

PAMONHA ASSADA : Ingredientes 3 latas de milho em conserva 200ml de leite de coco 1 xícara (chá) de leite 1 ½ xícara (chá) de açúcar 4 ovos 2 colheres (sopa) de margarina 1 pitada de sal Modo de preparo Escorra o milho. No liquidificador, bata o milho, o leite de coco, o leite, o açúcar, os ovos, a margarina e o sal. Coloque em uma assadeira u

0
Rende: 12 porções | Tempo: 40 minutos

A cape coat, uma espécie de capa com um espaço para os braços, surgiu como hit da temporada. A peça chave traz conforto e irrevência ao look e pode ser usada com calça flare,skinny, reta, saias e vestidos acinturados.

0

O queridinho moletom, item básico há muito tempo.Encontrato estampas, coloridos, texturisados enfim, é uma aposta certa nos looks casuais e despojados. podemos ousar e fazer combinações fora do comum. Por isso vale invertir em acessórios e até subir salto.

0

O queridinho clássico blazer, a modelos de corte reto, acinturado e em varias cores texturas e estampas. o blazer completa qualquer look, deixando muito estilhosa.

0

Peças indispensável do outono é inverno.

0
O famoso casaco de chuva deixou de ser apenas um item utilitário. Criado para proteger soldados da Primeira Guerra do frio e da chuva, hoje o trench coat é sinônimo de estilo e peça-chave de inverno. O casaco é fechado por botões na frente e ganhou um cinto para marcar a silhueta feminina.